“Anos 50, Figueira da Foz, numa estreita ruela existia um modesto cabaret chamado Cravo Vermelho”. Este foi o ponto de partida que Guilherme de Bastos Lima utilizou para a turma de teatro de adultos da escola de artes do CAE.