Pagamento antecipado efetuado pelo Tesouro foi de 800 milhões de euros que, desta forma, conclui o reembolso da tranche mais cara do empréstimo do FMI a Portugal.

O novo reembolso antecipado ao Fundo Monetário Internacional (FMI) realizado por Portugal vai permitir uma poupança de 400 milhões de euros, em juros. O anúncio foi feito pelo ministro das Finanças, Mário Centeno, através do Twitter, depois de um encontro em Davos com o primeiro-ministro António Costa e a presidente do FMI, Christine Lagarde.

“Hoje Portugal pagou antecipadamente a parte mais cara do empréstimo do FMI. Isto significa uma poupança direta em juros de cerca de 400 milhões de euros dos contribuintes, envia uma sinais fortes ao mercado e melhora a sustentabilidade da dívida. Boas notícias para Portugal e para a zona euro”, escreveu Centeno, acrescentando que foi um tema de conversa no encontro com Lagarde.

O secretário de Estado das Finanças tinha já anunciado, na segunda-feira no Eurogrupo, em Bruxelas, que Portugal ia realizar um pagamento antecipado de 800 milhões de euros ao FMI, concluindo assim o reembolso da tranche mais cara do empréstimo desta instituição.

Assim, ficam agora cerca de 4,5 mil milhões de euros de empréstimo do FMI por saldar, mas a uma taxa muito mais baixa, segundo explicou o secretário de Estado, que agora representa Portugal nas reuniões do fórum de ministros das Finanças da zona euro.

No encontro entre Centeno, Costa e Lagarde, a presidente do FMI elogiou os progressos da economia portuguesa. “Portugal é um ótimo exemplo de um país, que assumiu o compromisso de transformar a economia e está agora a colher os benefícios na forma de crescimento renovado, desemprego decrescente, acesso ao mercado sustentável e capacidade de reembolsas o empréstimo do FMI antes da data”, disse Lagarde, de acordo com um comunicado do FMI.

“Encorajo-os a continuarem neste caminho positivo para Portugal”, afirmou ainda a presidente da instituição de Bretton Woods, que aproveitou também a ocasião para “congratular o ministro das Finanças Mário Centeno pela eleição para presidente do Eurogrupo”.

FONTE:JORNAL ECONÓMICO