Um grupo de cidadãos da Figueira da Foz promove sexta-feira um protesto contra a realização de touradas naquela cidade, que inclui uma concentração junto ao Coliseu Figueirense, para onde está agendado um evento tauromáquico.

O movimento de cidadãos, que se assume não organizado nem ligado a qualquer força partidária, quer abolir as corridas de touros na cidade do litoral centro do país, exigência onde se inscreve a iniciativa “Figueira Anti-Tourada”, que inclui uma concentração em frente à Câmara Municipal, a partir das 20h00, um desfile a pé de cerca de 1,5 km até à zona da praça de touros e nova concentração até ao final da 53.ª Grande Corrida TV, promovida em parceria com a RTP, foi ontem anunciado.

“Este é um movimento civil no seu estado mais puro, não há uma organização por detrás, não há uma força partidária. Mas queremos exercer pressão para tentar abolir as touradas, pelo menos aqui na Figueira”, disse à agência Lusa João Peneda, um dos promotores do protesto.

João Peneda explicou que o movimento nasceu na rede social Facebook e passou por “chamar amigos que chamam amigos que têm esta causa [da abolição das touradas] em comum”.

“De certa forma, espero que seja um acordar para que quem vive na Figueira da Foz mostre que não está interessado em manter este tipo de práticas que são para uma minoria, porque nem são para quem cá vive. A tourada é para turistas e gente de fora e temos tanta coisa para oferecer a quem nos visita, não precisamos de touradas”, argumentou.

O protesto dirige-se, nomeadamente, à autarquia da Figueira da Foz “que tem de autorizar estes espetáculos” e o intuito final é o de declarar o município “livre de touradas, como já aconteceu em Viana do Castelo”.

“Queremos que a entidade que tem de autorizar passe a desautorizar”, adiantou João Peneda.

O promotor do protesto notou, no entanto, que a contestação não se dirige ao Coliseu Figueirense, nome de batismo da praça de touros da cidade, recinto com cerca de seis mil lugares, situada na zona do Bairro Novo, a poucas centenas de metros do Casino.

“Não queremos abolir o Coliseu, tem um potencial enorme para outro tipo de espetáculos o ano todo e as touradas acontecem geralmente em agosto. Queremos é que alguém proíba as touradas na Figueira da Foz”, enfatizou.

No comunicado ontem divulgado, o movimento cívico garante que a ação de protesto “é inclusiva e sem qualquer conotação partidária” e apela à participação dos naturais e residentes na Figueira da Foz.

Acrescenta que as corridas de touros “denotam valores contrários a tudo o que uma sociedade moderna e evoluída defende, com a agravante de usufruírem de financiamento, promoção e mediatismo, por parte de entidades públicas”.

“Com esta ação, o movimento ‘Figueirenses Anti-Tourada’ pretende manifestar a sua indignação contra um ato bárbaro de tortura animal, que não encontra qualquer justificação ética e moral em pleno século XXI”.