Na reunião de Câmara de ontem a bancada da oposição, PSD, voltou a insistir com o executivo camarário para que proceda a reuniões de esclarecimentos sobre a revisão do Plano Director Municipal em todas as freguesias.

Primeiramente, João Ataíde acedeu a reunir na Câmara Municipal. Contudo, perante a insistência, concordou em realizar sessões descentralizadas.

Um assunto abordado pela secção do PSD local em comunicado:

(…)

“Na reunião da Câmara Municipal de ontem, dia 6 de março de 2017, o sr. presidente da Câmara, depois de pressionado pelos vereadores da oposição, reafirmou aquilo que já tinha dito na Assembleia Municipal, que se dispõe a discutir publicamente o PDM em horário pós laboral, tendo imposto uma condição essencial: que a discussão tivesse lugar nos Paços do Concelho, segundo ele, a sua casa, razão, pela qual, entende que não deve ir às freguesias.

Só depois de nova interpelação por parte dos vereadores da oposição o sr. presidente acabou por anuir que vai anunciar uma agenda de sessões que contemple também as freguesias.

Não pode, ainda assim, o PSD deixar de repudiar de forma veemente aquela posição inicial assumida pelo sr. presidente, a qual, se traduz numa enorme falta de respeito e desconsideração para com a população do concelho residente fora da cidade, revelando uma postura de enorme desapreço e sentimento de desprezo pelas freguesias do concelho, tratando-os como munícipes de segunda em relação aqueles que vivem na sede do concelho.

O sr. presidente da Câmara Municipal ao não querer ir discutir a revisão do PDM junto das freguesias do concelho reconhece as más medidas que se encontram vertidas naquele documento que impedem a construção naqueles locais obrigando as populações a deslocarem-se para a cidade, levando a que os interesses imobiliários se sobreponham ao bem estar dos figueirenses. Fica a pergunta: será que na altura da campanha eleitoral o sr. presidente também vai evitar deslocar-se às freguesias para pedir votos?”.