Trabalhadores da unidade industrial da Figueira da Foz da Navigator Company decidiram ontem, em plenário, cumprir um período de greve caso a empresa não dê respostas à proposta de acordo que inclui aumentos salariais, disse fonte sindical.

“Os trabalhadores não querem criar conflitualidade social. Estão cientes de que a empresa teve 217,5 milhões de euros de lucros mas também ajudaram a criar essa riqueza”, disse António Moreira, coordenador da União de Sindicatos de Coimbra.

De acordo com o que foi ontem decidido pelo plenário, vai ser elaborado um abaixo-assinado “para circular com a maior abrangência possível por toda a empresa, por todos os setores, sejam quadros superiores, quadros médios ou executantes” até dia 29, quarta-feira.

O documento será entregue, nessa data, à comissão executiva da Navigator, dando os trabalhadores um prazo de cerca de uma semana, até 04 de abril, para obterem uma resposta favorável às suas pretensões.

“Querem que até 04 de abril seja dada uma resposta à última proposta de acordo, que foi entregue há 15 dias. Se a empresa não responder, no dia 05 há novo plenário para decidir a duração e a forma da greve, mas a greve está decidida”, frisou António Moreira.

Os trabalhadores do complexo industrial da Figueira da Foz do grupo papeleiro defendem, entre outros pontos, uma atualização salarial de 1,7% em 2017 para todos os trabalhadores executantes e 1,3% para os quadros médios, enquanto a proposta de empresa se situa entre 1,1% e 1,3% para a generalidade dos setores.

Contactada pela Lusa, fonte oficial do grupo Navigator Company recusou comentar a decisão do plenário de trabalhadores em avançar para a greve.

Em comunicado divulgado na semana passada, a Navigator Company diz que, além da sua proposta de aumentos salariais, estão igualmente previstas outras contrapartidas para os trabalhadores, designadamente uma subida de 3,5% para o subsídio de refeição e prémios em função dos resultados da empresa.

“A generalidade dos colaboradores da empresa vai receber em 2017 prémios que oscilam, em média, entre os 2,3 e os 2,8 ordenados brutos, com base nos resultados obtidos pela empresa, isto à semelhança do que tem acontecido nos últimos anos, embora com valores diversos”, refere.

A Navigator Company disse ainda que, nos últimos 20 anos, “aumentou, sem exceção e anualmente, os seus colaboradores”, integrou recentemente nos seus quadros “mais de 250 trabalhadores de empresas subcontratadas” e é “considerada uma das três melhores pagadoras em todos os distritos onde tem complexos industriais”.