A Concelhia da Figueira da Foz do Partido da Terra MPT manifestou-se, através de comunicado, que está “contra a atual organização administrativa das freguesias no concelho”.

No entender deste partido, “esta divisão resultou de uma medida do Governo PSD em 2013 muito mal aplicada, que não poupou dinheiro ao Estado, nem melhorou a vida das populações”. Como tal, exigem “que a divisão das Freguesias no nosso concelho regresse ao formato que existia antes dessa Reforma Administrativa”.

“O Partido da Terra MPT na Figueira da Foz considera também que o actual executivo PS da CMFF é um dos principais responsáveis desta aberração política, pois absteve-se da tentativa de procurar soluções em 2013, com o evidente intuito de recolher benefícios eleitorais, alegando que “a culpa era da tutela ter um Governo PSD””, referem.

Ao mesmo tempo, reconhecem que “hoje, o executivo PS da CMFF possui responsabilidades acrescidas, pois existindo um Governo PS na tutela, mesmo assim não se empenha em devolver às populações do nosso concelho uma parte importante da sua identidade nem o direito democrático de participação nas decisões políticas da sua zona”.

“Estas são as razões pelas quais o Partido da Terra MPT se junta às vozes de protesto e anuncia que se vai empenhar na luta a favor do restabelecimento das Freguesias de Borda do Campo, São Julião, Santana e Brenha”, concluem.