A naval 1.º de Maio respondeu hoje, através de comunicado, às críticas feitas nos últimos dias, quer pela autarquia figueirense quer pelo Ginásio Figueirense.

Na nota enviada à comunicação social, o clube refere que não tem pagamentos em atraso no que diz respeito ao valor mensal contratualmente acordado para a utilização do campo de treinos José Bento Pessoa com a Câmara Municipal da Figueira da Foz.

No entender do emblema navalista, e “apesar de não concordar com este pagamento , o nosso clube não recebe a verba anual a quem tem direito e a mesma é descontada na íntegra para cumprimento das suas obrigações”.

Nesta nota, aproveitam para informar que “também, desde 2013, o gás natural dos balneários do complexo de treinos é pago pela Naval”.

A Naval 1.º de Maio aproveitou ainda para esclarecer que, “honrando a nossa cidade, vencemos o Vitória de Setúbal por 2-1 , para o Nacional de Juniores”. Um encontro que começou atrasado devido a um problema previamente comunicado.

É que “nas redes das balizas de futebol de 11 houve um grave incidente com o nosso capitão Sandro Moço, que foi projetado contra a rede que envolve o campo. Ao cair, bateu com a cabeça no lancil e foi de rojo pelo alcatrão, num espaço onde falta relva sintética”.