O Porto da Figueira da Foz acabou de ser incluído na Estratégia para o Aumento da Competitividade Portuária.

Segundo a edição impressa do Diário As Beiras, a administração refere que, para continuar a ser competitiva, esta infraestrutura terá de aprofundar o calado, na barra e na zona portuária, em um metro.

Neste momento, o terminal de contentores e o terminal da carga geral têm seis metros de calado, enquanto a barra tem 6,5 metros de calado.

Para tal, e segundo um estudo da Universidade de Aveiro, a solução passaria por rebentar o maciço rochoso. Uma obra orçada em 42 milhões de euros.

O valor alto levou os responsáveis a procurarem soluções mais baratas e tecnicamente viáveis. Neste momento, a administração solicitou um reconhecimento geotécnico para se aferir, com maior valor, a natureza das rochas e a sua profundidade.

Ou seja, o objetivo é aferir se uma draga específica pode quebrar as rochas, de forma a que não seja possível recorrer aos explosivos subaquáticos.

Outra das medidas defendidas passa pelo aprofundamento da frente de acostagem e o avanço em cinco metros do cais.