logo_figueira film art

O festival internacional de cinema Figueira Film Art, que começa esta segunda-feira na Figueira da Foz e que decorre até 04 de setembro, apresenta 171 filmes a concurso oriundos de 42 países, anunciou a organização.

De acordo com informações adiantadas à agência Lusa por Luís Albuquerque, diretor geral do certame, a 3.ª edição do festival de cinema “superou todas as expectativas” dado terem sido submetidos à organização mais de 4.800 filmes, de 124 países, dos quais foram escolhidos 171, em seis categorias, para um total de 62 horas de programação.

A categoria de videoclips representa quase um terço (60) dos filmes a concurso, seguida das curtas-metragens de ficção e escolas de cinema, cada uma com 31 filmes.

A concurso estarão ainda 24 curtas-metragens de documentário e 25 longas-metragens (17 de ficção e oito de documentário, cinco das quais portuguesas).

Das restantes longas-metragens, três são oriundas do México e a Grécia, Espanha, Rússia, EUA e Índia apresentam, cada qual, dois filmes a concurso nas duas categorias de ‘longas’.

A lista de 14 países concorrentes às longas metragens fica completa com a Alemanha, Reino Unido, Hungria, Turquia, Irlanda, Cuba e Emirados Árabes Unidos, cada um com uma ‘longa’ no Figueira Film Art.

A maioria dos filmes, com exceção dos videoclips, será exibida no pequeno auditório do Centro de Artes e Espetáculos (CAE) da Figueira da Foz. Para o grande auditório do CAE está prevista a exibição de alguns filmes, bem como as sessões de abertura (segunda-feira, às 22:00) e encerramento do festival, esta agendada para sábado, 03 de setembro, e que inclui a divulgação dos premiados nas seis categorias a concurso.

No domingo, 04 de setembro, serão exibidos os filmes premiados no grande auditório do CAE.

Já a categoria dos 60 videoclips a concurso tem exibição marcada para o bar Casa Havanesa – situado no chamado Bairro Novo, perto do Casino – entre terça e sexta-feira.

Esta exibição repete-se, entre quarta-feira e sábado, no festival de surf, arte e música Gliding Barnacles, cuja programação cultural está agendada para a antiga garagem Auto Peninsular, localizada naquela mesma zona da cidade.

Do programa do Figueira Film Art consta ainda uma conferência intitulada “Cinema, Estética e Narrativa”, onde se integra um projeto que visa utilizar o cinema como terapia para comportamentos aditivos e dependências (01 de setembro, às 21:30, no Casino), seguida, uma hora mais tarde, de uma tertúlia com o realizador António Pedro Vasconcelos, padrinho da edição 2016 do festival.