hospital ffoz DR

O PCP defendeu hoje que a anunciada entrada em funcionamento de um novo bloco operatório no Hospital Distrital da Figueira da Foz (HDFF) deverá ser acompanhada pela instalação de uma unidade de cuidados intensivos polivalente.

Os comunistas argumentam, numa nota divulgada hoje, que “a existência de uma unidade de cuidados intensivos polivalente sempre foi considerada uma necessidade estratégica para a manutenção de um serviço de urgência médico-cirúrgica no Hospital Distrital da Figueira da Foz” e anunciam ter enviado três questões neste âmbito ao Ministério da Saúde.

“O Governo confirma a intenção de dotar o Hospital Distrital da Figueira da Foz de um novo bloco operatório? Em caso afirmativo, qual a previsão da sua abertura? Vai o Governo tomar medidas para a instalação de uma unidade de cuidados intensivos polivalente no HDFF?”, pergunta o PCP.

Os comunistas lembram que “a distância de mais de quarenta quilómetros de um Hospital Central, aliada à qualidade do serviço prestado, bem como as várias ações de luta da população figueirense em torno da defesa do seu hospital”, são condições suficientes para a atual classificação do HDFF como Hospital Distrital e para a manutenção de um serviço de urgência médico-cirúrgica.

Estas condições dão ainda “mais sentido à reivindicação das populações para que a unidade de cuidados intensivos polivalente fosse instalada”, refere a nota da Direção Regional de Coimbra do PCP.

“Tendo sido conhecida a intenção de equipar o Hospital Distrital da Figueira da Foz com um novo bloco operatório, a confirmar-se, esta seria a melhor oportunidade para dotar o HDFF da unidade de cuidados intensivos polivalente, tanto mais que este Hospital é publicamente reconhecido pela qualidade do trabalho realizado pelo coletivo de profissionais que exercem o seu saber nesta unidade hospitalar”, concluem os comunistas.