anestesiologista

Os maiores especialistas nacionais de Anestesiologia reúnem-se, a partir desta quinta-feira, no Hotel Eurostar Oasis da Figueira da Foz. A reunião dura até sábado, altura em que a partir das 14h30 se irá debater o presente nesta área através da apresentação dos resultados do inquérito nacional e em que haverá um brainstorming entre os especialistas sobre as necessidades e exigências do futuro.

Num comunicado de imprensa, a organização refere que “falar de Medicina na anestesiologia é falar da necessidade de olharmos para esta especialidade como algo muito mais abrangente do que colocar um doente a dormir”.

Ou seja, a anestesiologia coloca em debate a necessidade de todos os doentes terem um acompanhamento peri, intra e pós operatório. Segundo Rosário Orfão, presidente da Sociedade Portuguesa de Anestesiologia, “as consultas de anestesiologia são uma necessidade obrigatória para todos os doentes”.

No seu entender, “perceber os hábitos de vida, se fumam, se fazem desporto, outras medicações que façam. Tudo isso tem uma implicação na operação, deve ser analisado e conhecido pelo médico. Vigilância adequada em contínuo no intra e pós operatório com tratamento adequado da Dor Pós operatória e deteção e correção precoce de qualquer complicação é imprescindível.  Este será o tema geral do congresso. Debatê-lo é fulcral para melhorar a forma como acompanhamos os nossos doentes”.

O programa privilegia a abrangência da especialidade, com várias sessões de Medicina perioperatória desde áreas especificas como a neuroanestesiologia, a cirurgia hepática e a cirurgia bariátrica, até aspetos de gestão  como a organização da medicina perioperatória e rede de referência da anestesiologia.

Os especialistas irão também debater a qualidade e segurança, não esquecendo a influência das técnicas e fármacos anestésicos no perioperatório.