Polícia-Marítima-DR

A Polícia Marítima da Figueira da Foz apreendeu, ontem de manhã, mais de duas dezenas de redes majoeiras ilegais. Segundo a edição de hoje do Diário as Beiras, a apreensão decorreu entre a praia da Murtinheira e a praia da Tocha.

Em declarações ao Diário as Beiras, o comandante Silva Rocha disse que “a última rede tinha cerca de 90 metros”. O militar explicou ainda que a apreensão de redes majoeiras (redes de emalhar para a pesca de robalo, entre outras espécies), acontece quando as redes “não estão licenciadas para usar a rede ou porque as redes mesmo sendo licenciadas não têm as dimensões regulamentares”.

Depois da apreensão, a PM procedeu à identificação de possíveis  proprietários das artes de pesca.

Ao mesmo tempo, e durante o último fim de semana, esta força policial figueirense “detetou e apreendeu sete artes ilegais denominadas “rapetas”, utilizadas a partir de terra para a captura de meixão, um crivo, quatro baldes e 620 gramas de meixão vivo, que foi devolvido ao rio”.

“No local não foram localizados os presumíveis infratores, tendo as referidas redes sido recolhidas e transportadas para o Comando-local da PM, onde se procedeu à elaboração do respetivo expediente e autos de contraordenação”, refere, na página da internet, a Autoridade Marítima Nacional.