projeto AMEA

O programa “Alimente Bem Esta Família (AMEA TEENS), dirigido a adolescentes a partir dos 12 anos e famílias com dificuldades económicas, foi apresentado na Figueira da Foz e vai envolver outros quatro municípios do país.

O programa AMEA TEENS tem como principal objetivo a promoção de saúde e da alimentação saudável junto dos adolescentes, impulsionando o combate ao excesso de peso e obesidade infantil em Portugal, um dos países com maior prevalência desta doença que afeta “uma em cada três crianças”, disse, na cerimónia, Ana Rito, diretora do Centro de Estudos e Investigação em Dinâmicas Sociais e Saúde (CEIDSS), promotor da iniciativa.

Na cerimónia, que envolveu ainda a assinatura de um protocolo entre o CEIDSS e a empresa municipal de habitação Figueira Domus, Ana Rito defendeu igualmente os “bons resultados” alcançados por programas de base comunitária.

Ainda de acordo com os objetivos do programa, os jovens vão intervir no seio das suas famílias, no planeamento alimentar e orçamento familiar para aquisição de alimentos, onde lhes serão dadas competências para que possam fazer escolhas saudáveis.

O projeto AMEA TEENS decorre ao longo de um ano, até julho de 2016, envolve 15 famílias e consta de seis sessões de aconselhamento por agregado familiar, com visitas domiciliárias, ao longo de seis meses, a cargo de um nutricionista, que será responsável por aconselhamento individual e intervenção em malnutrição, planificação de dieta alimentar para toda a família ou idas ao supermercado para orientação na aquisição de produtos alimentares saudáveis de acordo com o rendimento familiar, entre outros aspetos.

Integra ainda, em cada município – para além da Figueira da Foz, as autarquias de Águeda, Odivelas, Oeiras e Paredes – uma atividade em âmbito escolar, um “workshop” de cozinha saudável e iniciativas a desenvolver nas redes sociais.

Na sessão de ontem, o presidente da Câmara Municipal da Figueira da Foz, João Ataíde, assinalou o caráter “simbólico” do programa (a decorrer pelo terceiro ano consecutivo, integrado no projeto Mun-Si, de promoção da saúde infantil em municípios e que já passou por dez concelhos) embora, frisou, “rico em conteúdo”.

O autarca assinalou ainda a “preocupação” que deve presidir às políticas sociais, que é a de atenderem ao “núcleo base, a família”.